Desde o início do século XXI, o Brasil vivencia um período de melhorias em seus índices econômicos e sociais, incluindo os relacionados à educação. A 5ª edição do Prêmio Itaú-Unicef conquistou também um enorme avanço: chegou a 1.834 inscrições, um recorde até então.

A partir das avaliações das edições anteriores, são introduzidas mudanças importantes do Prêmio. A primeira delas refere-se à priorização de ações complementares à escola, agora denominadas ações socioeducativas. Com o tema Muitos Lugares para Aprender, o objetivo é destacar a importância dessas ações para assegurar o direito ao desenvolvimento integral de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Outra inovação estratégica foi a regionalização do processo de seleção. Para isso, foram envolvidos agentes públicos das áreas da educação e assistência social. Eles assumem a responsabilidade de avaliar os projetos. A indicação desses profissionais é viabilizada pelas parcerias com a União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação (Undime), com o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e com o Canal Futura.